E commerce

E commerce

Engana-se quem acha que a pandemia mudou os hábitos de consumo apenas em relação aos bens duráveis. Confinadas, as pessoas também passaram a se alimentar melhor, seja cozinhando em casa ou pedindo no delivery refeições mais saudáveis — um levantamento da Organis constatou um aumento de 44,5% no consumo de alimentos orgânicos nos 7 meses de restrições sociais. Uma empresa que surfou da crista dessa tendência foi a Liv Up, startup com mais de 600 mil seguidores no Instagram e eleita uma das 100 marcas mais lembradas pelo consumidor na pandemia.

Leia também: O desafio da integração entre empresa e cliente no omnichannel

Para Henrique Dorizzotto Castellani, Co-Founder e COO da Liv Up, o consumo de alimentos saudáveis já era uma tendência antes mesmo da pandemia. “A busca por comidas naturais, com ingredientes orgânicos e sem conservantes já existia antes da Covid-19. As pessoas querem comer melhor, viver melhor, se relacionar com a sociedade. O negócio que não se adaptar logo a isso com certeza vai ficar para trás”, garantiu Castellani no evento Grocery&Drinks | Congresso de E-commerce.

Um fator interessante da empresa é que ela é proprietária da plataforma, com tecnologia desenvolvida “em casa”. Isso dá ao negócio a vantagem de todos terem acesso aos indicadores e saber como otimizar a operação. “Todos, inclusive os chefs de cozinha, acessam os feedbacks de clientes, saídas, rastreabilidade, custos… Dessa forma, toda a demanda de alimentos é desenvolvida com base em dados”, disse Castellani. Ele acrescentou que trabalha com pequenos produtores de alimentos no fornecimento de produtos. “São mais de 20 famílias, o que nos acaba sendo positivo à toda a cadeia”.

Deixe uma resposta